Ludis

Vuelta já não vai passar em Portugal

A Volta a Espanha em bicicleta já não vai passar em Portugal. Ao contrário do que estava previsto inicialmente, a chegada ao Porto, passando por Matosinhos, e a partida em Viseu foram eliminadas do percurso da competição.

A decisão foi tomada em conjunto entre as autarquias do Porto, Matosinhos e Viseu e a Unipublic, a organizadora da Vuelta. A razão da alteração foi o facto de “não ser possível garantir a realização das duas etapas num clima de festa e de segurança para todos”, devido aos transtornos causados pela covid-19.

A 15ª etapa teria início na Galiza, passaria por Matosinhos e terminaria no Porto e estava prevista para 3 de setembro. No dia seguinte, a 16ª etapa da prova começaria em Viseu e acabaria em Salamanca.

Javier Guillén, diretor da Vuelta, afirma que “numa situação excecional como a que estamos a viver temos que ser flexíveis a estas decisões e mudanças”. Ainda assim, não fecha as portas à passagem por Portugal em edições futuras: “vamos manter as relações para que possamos regressar a este país que nos tratou tão bem”.

As reformulações que a 15ª e a 16ª etapas vão sofrer serão apresentadas nas próximas semanas pela organização.

O primeiro plano da prova contava com vinte e uma etapas. A Vuelta começava em Utrecht (Holanda) e acabava em Madrid. Entretanto, devido à covid-19, já tinha sido encurtada para 18 etapas e a partida na Holanda tinha sido cancelada, bem como outras duas que seriam disputadas nesse país.

As alterações do calendário internacional do ciclismo provocaram o adiamento da Vuelta. As 18 etapas da prova iriam ser disputadas entre 14 de agosto e 6 de setembro, mas, em vez disso, vão realizar-se entre 20 de outubro e 8 de novembro.

Esta seria a edição mais internacional de sempre daquela que é considerada uma das três provas mais importantes do ciclismo mundial. Naquela que seria a sua 75ª edição estava previsto passar na Holanda, França, Portugal e Espanha.

Foto de destaque: Record

Francisco Martins
Estudo Jornalismo e Comunicação e foi algures entre a escrita e o desporto que lá veio a ideia de poder vir a ser jornalista. Contar histórias, conhecer pessoas e relatar o que de especial há nelas. No fundo, dar aos outros coisas para falarem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.